TCE faz mega operação para fiscalizar ônibus escolares em Pernambuco

Transporte escolar...
TCE faz mega operação para fiscalizar ônibus escolares em Pernambuco
Compartilhe em sua rede social:

A fiscalização ocorreu em todas as cidades do Sertão do Araripe e de outras regiões do estado

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) realiza nesta quarta-feira (27) uma operação para fiscalizar a segurança e a qualidade do serviço de transporte escolar oferecido aos alunos de escolas públicas municipais em 183 cidades de Pernambuco — ficou de fora apenas o Recife, que não dispõe do serviço. O procedimento acontece pouco mais de um mês após um grave acidente com ônibus escolar no Agreste.

Alguns dos pontos analisados são se o modelo é adequado à finalidade; se o serviço é prestado com autorização do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), se os condutores são devidamente habilitados para a função, entre outros.

Por nota, o TCE salientou que a “iniciativa é de extrema importância para garantir a segurança dos alunos, principalmente após os recentes acidentes envolvendo ônibus escolares no interior.”

Acidente deixou vítimas no Agreste

Quatro adolescentes morreram após acidente em 11 de março deste ano com um ônibus escolar no sítio Salgado, zona rural de Riacho das Almas.

Vitória Maíza de Moura, de 11 anos, Thayná de Moura Silva, de 12 anos, e Karine Oliveira Moura, de 13 anos, que eram primas, morreram no local. Já Weviton Silva Santos, de 12 anos, estava em estado gravíssimo na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no Hospital Regional do Agreste, mas não resistiu e também veio a óbito.

O veículo levava aproximadamente 35 crianças e adolescentes, alunos da Escola Municipal Luiz Francisco da Silva. Outros estudantes ficaram feridos e foram levados para a Unidade Mista João Soares da Fonseca, em Riacho das Almas, e para o Hospital Regional do Agreste (HRA), em Caruaru, também no Agreste. (Fonte: JC)

Categorias
Dating TipsDestaqueEducaçãoWindows 11 filer

Matérias de autoria independente (instituições e agências de notícias).

Comentários via Facebook