DestaquesEstilo de Vida

Dia Nacional da Saúde: O que você pode fazer para viver mais e melhor

Dia Nacional da Saúde: O que você pode fazer para viver mais e melhorFoto: Divulgação
Espalhe por ai:

Adotar um estilo de vida que inclua alimentação saudável, atividades físicas e sociais, menos tarefas estressantes e o abandono de vícios como tabagismo e alcoolismo leva à redução de doenças e, consequentemente, a uma vida mais longa e feliz.

A forma como os brasileiros vivem tem adoecido a população, e os números mostram isso. O diabetes, doença crônica caracterizada pelo aumento da glicose no sangue, atinge aproximadamente 9 milhões de pessoas no país, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde 2015 (PNS), realizada pelo Ministério da Saúde em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dados do mesmo Ministério apontam que o infarto agudo do miocárdio atinge 300 mil brasileiros por ano, causando cerca de 80 mil mortes no período.

Além disso, dados da pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) indicam que 24,8% da população brasileira adulta têm pressão alta. Os números alarmantes são um aviso: os brasileiros precisam começar a mudar seus hábitos.

Saúde do coração

As mudanças no estilo de vida deveriam ser a principal intervenção feita em todos os pacientes que querem prevenir ou até mesmo tratar doenças, entre elas as cardiovasculares. Uma vida mais simples geralmente significa menos estresse, melhor alimentação e mais interações com os círculos sociais, como família e amigos. Tudo isso é extremamente benéfico.

Não há fórmula mágica para viver melhor. As recomendações de todos os médicos são as mesmas: parar de fumar, beber menos, evitar alimentos industrializados, dormir mais e melhor, interagir mais com a família e amigos e realizar atividades físicas prazerosas, de preferência em contato com a natureza.

Dormir bem também é extremamente importante. Para isso, a recomendação é tentar se desconectar dos smartphones e aparelhos eletrônicos e deitar mais cedo.

Comer melhor

A boa alimentação é um dos pilares para uma vida saudável. A receita é priorizar a comida de verdade, ou seja, carnes, ovos, vegetais, frutas e gorduras saudáveis e naturais. Evitar produtos industrializados, que contenham açúcares, farinhas, corantes, conservantes e flavorizantes também é essencial.

Não ingerir carnes processadas e alimentos ricos em gorduras e preferir fibras, verduras e frutas pode reduzir o risco de câncer de intestino e pâncreas. Da mesma forma, evitar alimentos conservados no sal, como de carne sol e peixes salgados, pode reduzir o risco de câncer de estômago, por exemplo.

Dados do Ministério da Saúde revelaram que 50% dos brasileiros estão com excesso de peso, e isso é fruto de uma alimentação ruim e da falta de atividades físicas. Outra pesquisa do Ministério, em parceria com o IBGE, em 2011, mostra que, entre os itens mais consumidos, estão a cerveja (63,6% dos entrevistados), os salgadinhos industrializados (56,5%) e salgados fritos e assados (53,2%).

Mexa-se

A falta de tempo para fazer atividades físicas não pode ser uma desculpa para não fazer nada. Vários estudos já provaram o impacto dos exercícios para uma vida mais saudável, mais feliz e longe de doenças como diabetes, colesterol alto, hipertensão e depressão. O rol de benefícios é extenso.

De acordo com um estudo da Universidade do Rosário, na Colômbia, a falta de atividade física pode reduzir em até 10 anos a expectativa de vida. Assim, ainda que não seja possível praticar exercícios físicos todos os dias, inclua o que for possível na sua rotina.

Que tal usar sempre as escadas em vez dos elevadores? Estacionar o carro mais longe do local de destino e evitar utilizá-lo para ir à padaria da esquina? Depois de começar, é mais fácil conseguir, aos poucos, construir o hábito e aumentar a frequência e a intensidade das atividades.

Mente sã, corpo são

A antiga máxima é verdadeira. A atitude positiva influencia diretamente em como o nosso corpo reage e pensamentos positivos atuam beneficamente no funcionamento do sistema imunológico. Ou seja: ter uma postura positiva diante do mundo permite que os pacientes com diagnóstico de câncer aceitem melhor a doença e aprendam a lidar com ela e seus tratamentos com mais harmonia e leveza.

Neste momento de isolamento social, a solidão pode impactar negativamente a saúde na medida em que produz tristeza em excesso e potencializa sintomas depressivos. Por isso, utilizar a tecnologia disponível para manter-se conectado com a vida e as pessoas que se ama é uma excelente estratégia.

Dicas para viver mais e melhor

– Coma melhor e mais devagar. Prefira alimentos naturais e orgânicos e faça da sua alimentação um ritual de cuidado com o seu corpo.

 Insira atividades físicas em ações cotidianas. Troque o elevador pelas escadas, prefira a bicicleta ao carro e caminhe sempre que possível.

– Evite o tabagismo e diminua a ingestão de álcool. Após 15 anos sem fumar, estudos mostram redução de até 90% do risco de câncer de pulmão.

– Evite ou minimize situações de estresse no trabalho e em casa. O estresse é uma das principais causas de doenças como o infarto, por exemplo.

– Encontre mais tempo para atividades culturais e de lazer que descansem o cérebro.

– Cuide mais da sua mente, com atitudes e pensamentos positivos. Um estudo da Universidade Carnegie Mellon revelou que o otimismo parece reduzir os níveis de hormônios do estresse, como o cortisol.

– Compre menos coisas e viva mais experiências, como viajar, sair para jantar e assistir a um bom show ao lado de quem você ama.

– Tenha amigos! Um estudo da Universidade de Virgínia concluiu que ter pessoas em que confiar e a quem recorrer faz com que os problemas pareçam menores e a vida fique melhor.

– Prefira uma vida mais simples e faça suas atividades de um modo mais tranquilo. Encontre tempo para reorganizar as suas tarefas e exija menos de si.

Fonte: Hospital Santa Lúcia

Redação/Ascom

Comentários via Facebook