Mulher finge ter câncer e leva quase R$ 330 mil em doações em “vaquinha” na internet

Segundo denúncias, suspeita ainda tentou pegar mais R$ 73 mil, mas não conseguiu ...
Mulher finge ter câncer e leva quase R$ 330 mil em doações em “vaquinha” na internet
Fonte / Foto: Jornal Ciência
Compartilhe em sua rede social:

Uma mulher, que mentiu que tinha câncer a fim de enganar amigos e familiares, foi acusada de tentar dar um golpe em uma instituição de caridade.

Nicole Elkabbas agora está presa, depois de ser considerada culpada de criar uma página fraudulenta no GoFundMe (uma espécie de “vaquinha” on-line) em 2018, que arrecadou R$ 330 mil no total.

Ela chegou a postar uma foto sua deitada em uma cama de hospital, enquanto implorava às pessoas que ajudassem a pagar por um tratamento que salvaria sua vida. A imagem foi tirada meses antes, durante uma operação de rotina para remover a vesícula biliar.

Ex-consultora de moda, ela usou o dinheiro para comprar ingressos de futebol, alimentar seu vício em jogos de azar e para pagar quartos em hotéis. No entanto, agora descobriu-se que ela enfrenta novas acusações relacionadas a uma noite de gala organizada em 2017.

Ela afirmou que o evento arrecadou mais de R$ 73 mil para o The Shed, uma iniciativa que ensinava carpintaria para idosos, organizada pela instituição de caridade Broadstairs Town Team, mas o dinheiro nunca chegou até eles.

Um porta-voz declarou que “como instituição de caridade, é muito decepcionante receber a promessa de fundos e não recebê-los. O galpão é uma parte importante da vida de muitas pessoas. Os idosos são muitas vezes esquecidos e o galpão oferece interação social com outras pessoas com ideias semelhantes que podem trabalhar juntas em projetos de marcenaria para a comunidade”.

A polícia foi informada em abril de 2019, mas nenhuma ação judicial foi tomada durante a investigação em andamento e foi considerada improvável que houvesse qualquer tipo de sentença.

O sargento-detetive Marc Cananur, disse: “Uma análise das finanças da suspeita revelou que também havia pouca perspectiva de as vítimas receberem qualquer parte do dinheiro que era supostamente devido a elas”. As vítimas foram estimuladas a denunciar e tomar medidas alternativas para pedir indenização à suspeita.

Ela enganou simpatizantes para que doassem dinheiro, alegando que tinha câncer de ovário e precisava de uma cirurgia e quimioterapia. Em uma página do GoFundMe, ela foi descrita como uma “mãe amorosa” que havia sido “diagnosticada recentemente” e precisava de dinheiro para um tratamento que poderia salvar sua vida.

Mas, seu crime foi descoberto depois que seu médico oncologista achou a página do golpe. Elkabbas foi condenada por fraude e posse criminosa de bens, especificamente doações de caridade.

Categorias
InternacionalPolícia
Redação/Ascom

Matérias de autoria independente (instituições e agências de notícias).

Comentários via Facebook

POSTS RELACIONADOS