Home Multimídia Poemas & Poesias O interessante sempre tem algo de inquietante

O interessante sempre tem algo de inquietante

45 Segunda leitura
5

Planícies: alvura, vastidão e liberdade;

Escarlate, o Homem sobe a montanha;

Sim, a pele de cordeiro da vítima;

Quietude do desejo; sob cúpula azulada

Abrem-se as pernas dormentes

Quando, entregue, aparece o latejante sol;

Oh, o bote do Caçador; crepitante sussurra

A relva verde sob os seres;

O anjo saciado contempla com sorrisos sua criação,

E rubro corpo penetra em cavidade úmida;

Dois sóis queimam as irrigadas carnes;

Grito, dor que dá prazer; com lábios brancos

O dia beija a testa da fêmea,

Chuva que cai de nuvem rosa.

  • Por mais agrestes que possam ser os desertos

    Por mais agrestes que possam ser os desertos, densos os caminhos e a sede me doa prevalece…
  • Que jamais cale o que em mim calei

    Que jamais cale o que em mim calei Neste silêncio dormente que gritei Nesta dor arrancada …
  • Entrega absoluta

    Quente conquista que me desperta, Quarto do desejo na porta aberta Perfume da tua languida…
Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação Portal
  • Por mais agrestes que possam ser os desertos

    Por mais agrestes que possam ser os desertos, densos os caminhos e a sede me doa prevalece…
  • Que jamais cale o que em mim calei

    Que jamais cale o que em mim calei Neste silêncio dormente que gritei Nesta dor arrancada …
  • Entrega absoluta

    Quente conquista que me desperta, Quarto do desejo na porta aberta Perfume da tua languida…
Carregar mais por Poemas & Poesias

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Veja Também

Chá para cólicas menstruais

1 colher de camomila 1 colher de gengibre 1 colher / chá hortelã Coar e adoçar com um pouc…