ASSUNTO DA SEMANA


O Portal percebeu uma discussão incomum nas redes sociais e nas rodadas de conversas na cidade e zona rural do município de Santa Filomena-PE, pelo povo de forma geral, mas principalmente pelas famílias de estudantes da rede municipal de ensino, no tocante aos últimos eventos ocorridos com o transporte escolar.

Frase como essas, tornam o assunto ainda mais intrigante:

“Quem já viu carro de aluno andar caindo as rodas?”

“Porque uma van que transporte escolar pegou fogo minutos depois de entregar os alunos?”

“Será que é seguro, nossos filhos serem transportados em carros que saltam rodas, pegam fogo?”

“Será que os donos desses carros estão fazendo a devida manutenção?”

“Porque os vereadores não fiscalizam o transporte escolar?”

Vamos à descrição dos eventos relacionados ao transporte escolar em Santa Filomena, pela gestão do prefeito Cleomatson Vasconcelos (PMN):

Nos últimos dias, aconteceram dois acidentes com veículos escolares, contratados pela Prefeitura de Santa Filomena, através de uma empresa terceirizada.

  • Um ônibus saltou um roda recentemente, enquanto transportava os alunos, na PE-625. Houveram algumas escoriações no corpo de estudantes, que ficaram traumatizados com o risco que sofreram, de perder suas vidas;
  • Uma van pegou fogo na noite de quinta-feira (25), após entregar os alunos em suas casas, no sítio Seriema zona rural do município, onde por sorte o motorista conseguiu escapar antes que o carros explodisse.

Na Sessão de 8 de Março deste ano, o vereador Danúbio Macedo teve um requerimento barrado na Câmara Municipal, onde solicitava esclarecimento sobre irregularidade no transporte escolar.

Segundo a denúncia, os donos de transporte escolar de Santa Filomena recebem ao todo, média de R$ 130 mil por mês. Mas o contrato com a empresa contratada para fazer os repasses, recebe em média R$ 220 mil mensal. Sendo assim, a denúncia supõe que estaria “sobrando” o valor de R$ 80 a 90 mil mensalmente.

Diante dos fatos, cabe um questionamento à Gestão:

Porque os vereadores de situação (Geandro de Geni, Valdir Teixeira, Chixico Coelho, Ailton do Sindicato e Edclécio Freitas) ‘blindaram’ a Gestão para não ser fiscalizado o uso de dinheiro público no transporte escolar?

Qual a confiança que os pais de alunos tem hoje, de que seus filhos estão sendo transportados com segurança?

O que aconteceu, reflete sobre os valores que supostamente estão sendo pagos aos donos dos veículos. Já que saltar rodas e pegar fogo em veículos geralmente é consequência de falta de manutenção.

Com a palavra a Prefeitura de Santa Filomena. 
O espaço fica a inteira disposição, para quaisquer esclarecimentos.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Charles Araújo
Carregar mais por Colunista

1 Comentário

  1. Juscelio de Lima feitoza

    1 de novembro de 2018 em 10:40

    Bom dia, isso é uma questão frequente que a população de pequenos municípios exclusivamente da região Nordeste enfrentam, isso é uma falta de respeito para com os mesmos, e colocam em riscos a vida de todos que precisam do transporte público, Por isso buscamos mudanças. Temos que ficar-nos de olho no mal uso e distribuição das verbas destinadas ao uso público.

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Veja Também

Associações Boa União e Acocasf reunirão domingo 13, com presença de técnica do Caatinga

A Associação do Sítio Boa União e ACOCASF convidam a todos os seus associados e comunidade…