Home Poder Público Alepe Socorro Pimentel volta a falar da crise na Saúde e anuncia audiência pública para discutir atendimento prestado por plano de saúde popular

Socorro Pimentel volta a falar da crise na Saúde e anuncia audiência pública para discutir atendimento prestado por plano de saúde popular

3 primeira leitura
1

Na Reunião Plenária dessa quarta-feira (06), na Assembleia Legislativa, a deputada estadual Socorro Pimentel (PTB) voltou a falar sobre a crise que enfrenta a Saúde no Estado. Pimentel chegou a elogiar o Sistema Único de Saúde – SUS, mas lamentou que a realidade encontrada pela população esteja muito distante do que o prevê a teoria do programa adotado no Brasil há 30 anos.

“É fundamental que possamos refletir sobre o abismo que ainda separa o SUS do papel do SUS da vida real. Hoje, quem necessita da saúde pública sofre com a dificuldade de acesso; com as filas sem fim para marcar uma consulta ou uma cirurgia; com a carência de leitos; falta de medicamentos; com as unidades de saúde sucateadas, entre tantas outras problemáticas”, disse.

A parlamentar também criticou a postura adotada pelos gestores em Pernambuco. “Junto à falta de prioridade por parte do Estado, padecemos com a incompetência de boa parte dos gestores. Estima-se que a ineficiência e a burocracia redundem em perdas da ordem de 30% a 35% das verbas que seriam para a saúde dos cidadãos”, afirmou. “Em Pernambuco, uma pesquisa da Vox Populli, divulgada essa semana, mostrou que a Saúde é a maior preocupação dos pernambucanos, superando até a violência, tamanho o desmantelo que atinge os nossos serviços”, apontou a deputada.

Socorro Pimentel também questionou os serviços prestados pelos planos de saúde populares que têm atraído a população pelo baixo custo e tem servido de alternativa ao SUS. Ela disse que o conjunto dos planos privados no Brasil “tem jogado no campo adversário” da saúde pública e pressionado os governos para mudar as leis que hoje protegem os consumidores.

“Tramita no Congresso Nacional a proposição que prevê planos de saúde de cobertura limitada, ironicamente batizados como populares, e que representam um retrocesso: ferem os direitos dos consumidores, não oferecem assistência integral, liberam reajustes e aumentam prazos para acesso aos procedimentos”, afirmou Socorro Pimentel. “Posturas como essas visam somente a enriquecer as empresas sem se preocupar com os cidadãos.”

Por fim, a parlamentar anunciou uma audiência pública que acontecerá na Assembleia, na próxima terça-feira (12), no âmbito da Comissão de Cidadania para debater sobre os serviços prestados pelo plano de saúde Hapvida em Pernambuco. “O Hapvida vem impondo procedimentos confusos a seus usuários e dispensando tratamento lamentável aos profissionais”, relatou a deputada.

Por Dianely Sales / Ascom

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Charles Araújo
Carregar mais por Alepe

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Veja Também

Outubro Rosa: conheça 5 direitos do INSS para mulheres com câncer de mama

Segundo dados da Secretaria da Previdência, foram mais de 21 mil benefícios concedidos em …